Doodle Interativo Google – infosfera

Para quem não sabe, também sou editor no blog infosfera do clicrbs, e achei bacana replicar o meu último post sobre o Doodle Interativo do Google com um efeito que sempre me impressiona, à sombra!

O Doodle Animado do Google traz um móbile semelhante ao criado por Alexandre Calder em comemoração a seu 113º Aniversário. Como cortesia da Fundação Calder / ARS, NY.

Observem a sombra quando o Móbile se movimenta!!!!


Calder foi o primeiro a explorar o movimento na escultura e um dos poucos artistas a criar uma nova forma – o móbile. Nos últimos anos mantinha um estúdio em Saché, perto de Tours e embora vivesse aí a maior parte do tempo, conservou sua fazenda de Roxbury, Connecticut, comprada em 1933, e que se tornara um verdadeiro repositório de trabalhos e objetos feitos por ele – desde os andirons espiralados da lareira rústica até às bandejas feitas com latas de azeite italiano. Alexander Calder também conhecido por Sandy Calder, foi um escultor e artista plástico estadunidense famoso por desenvolver seus móbiles.

As décadas de 1930 e 1940 foram extraordinariamente produtivas para Calder. Sua criatividade levou-o a realizar obras cada vez mais versáteis, como esculturas ao ar livre, cenários para teatros e balés e móbiles para arquitetura.

Móbile é um modelo abstrato que tem peças móveis, impulsionadas por motores ou pela força natural das correntes de ar. Suas partes giratórias criam uma experiência visual de dimensões e formas em constante equilíbrio. O móbile foi inicialmente sugerido por Marcel Duchamp para uma exibição de 1932, em Paris, sobre certas obras de Alexander Calder, que se converteu no maior exponente da escultura móbile.

Em 1964, outra grande retrospectiva de sua obra foi realizada no Museu Guggenheim de Nova York. Calder seria consagrado como o grande inovador da escultura no século 20. Faleceu, na casa de uma de suas filhas, aos 78 anos.

 

Fonte(s):

infosfera

http://pt.wikipedia.org/wiki/Alexander_Calder

http://www.webdig.com.br/6219/doodle-interativo-google-comemora-escultor-alexander-calder/

 



Anúncios

>Freelancer == Inovação?

>Porque mais faríamos freelancer? Simplesmente como uma forma complementar de renda? Uma atividade fixa, profissional? Mas como definimos freelancer hoje em dia?
Segundo wikipedia Freelancer é o termo inglês para denominar o profissional autônomo, que se auto emprega em diferentes empresas ou, ainda, guia seus trabalhos por projetos, captando e atendendo seus clientes de forma independente. É uma tendência muito em voga no mercado de jornalismo, design, propaganda, Web, tecnologia da informação, música e muitos outros.

A expressão — literalmente traduzida como “lanceiro livre” — deriva dos cavaleiros medievais mercenários, que se colocavam a serviço dos nobres que lhes pagassem mais para guerrear. Ela apareceu pela primeira vez no livro “Ivanhoé”, de Sir Walter Scott, em 1819.

Surpreendi-me com uma nova visão, uma oportunidade dentro da atividade freelancer, a Inovação.

Freelancer é a forma mais fácil para inovar para quem trabalha somente com projetos fechados, para quem trabalha em fábrica de software. Claro que o ganho financeiro pode ou não ser satisfatório, porém temos mais este ponto a ser avaliado. Inovar também pode parecer dor de cabeça para muitos, porém também, muitos buscam esta dor de cabeça gostosa que é  inovar no seu dia-a-dia.

Descobri a capacidade de inovar na busca por igualar conhecimento com grandes empresas. Entender o que elas fizeram de inovação, tentar criar algo parecido e inovar sobre uma inovação, o que podemos chamar de aperfeiçoar(audaciosamente, claro).

Não vamos pensar que isso é fácil, aperfeiçoar a busca do google é quase impossível. Não sejamos tão audazes assim. Inovações em cima do twitter por exemplo, já é algo de se pensar. Aplicações como o  twitterfeed, suporteSocial, etc. Essas são as inovações das quais falo. Alguns chamam de complementar, decorar o contorno, etc.

 Quem sabe inovar não é algo que cresce dentro de nos apartir de um certo nível, quem sabe alguns já nascem assim, inovadores natos. Segundo entendedores sobre a tão falada geração Y, estes inovadores  tendem a serem  questionadores, conseguem manter o foco em tantas coisas simultaneamente.

Segundo o site mercadosfuturo, é neste linear que residem novas oportunidades. A revolução silenciosa já está acontecendo. Situar-se neste mundo é o grande desafio tanto para os novos quanto para os empreendedores mais experientes. E as organizações de grande porte, o desafio é formar líderes num ambiente colaborativo, rompendo as barreiras dos organogramas piramidais. Isso por que a inovação, característica das equipes de alta performance, se dá em ambientes colaborativos, sem amarras dos organogramas funcionais.

Fonte(s):
http://pt.wikipedia.org/wiki/Freelancer
http://www.mercadosdofuturo.com.br/as-fronteiras-da-inovacao/

>HTML5 Google Nova Zelândia

>O Google apresentou, na home do Search da Nova Zelândia, um doodle especial e animado, feito em HTML5, em comemoração aos 25 anos do Fulereno.

 Os fulerenos são a terceira forma mais estável do carbono, após o diamante e o grafite. Foram descobertos recentemente (1985), tornando-se populares entre os químicos, tanto pela sua beleza estrutural quanto pela sua versatilidade para a síntese de novos compostos químicos. Foram chamados de “buckminsterfullerene” em homenagem ao arquiteto R. Buckminster Fuller que inventou a estrutura do domo geodésico, devido à semelhança, daí advindo a denominação antiga desta forma de carbono.

Fulerenos uma vasta família de nanomoléculas superaromáticas, altamente simétricas, compostas de dezenas de átomos de carbono sp2-hibridizados.

Sua estrutura é em geral esférica, formada por hexágonos interligados por pentágonos, sendo estes últimos responsáveis pela curvatura da molécula e, conseqüentemente, por sua forma tridimensional. O representante mais conhecido da família dos fulerenos sendo o C60 (com 60 carbonos), um icosaedro truncado de simetria Ih, e um diâmetro de aproximadamente 1 nm.

Fonte(s): Wikipédia

>QR Code

>Segundo a Wikipédia o QR Code (ou Código de Barras em 2D), é uma matriz ou código de barras bi-dimensional, criado pela empresa Japonesa Denso-Wave, em 1994. O QR vem de Quick Response, pois o código pode ser interpretado rapidamente, mesmo com imagens de baixa resolução, feitas por cameras digitais em formato VGA, como as de celulares.

Isso da a possibilidade do usuário utilizar os links e as informações sem precisar ficar digitando.

Um QR-Code tem a capacidade de armazenar Numéricos (Max. 7,089 characters), Alfanuméricos (Max. 4,296 characters), Binários (8 bits – Max. 2,953 bytes) e Kanji/Kana (Max. 1,817 characters).

Tenho algumas aplicações geradoras de QR-Code. A altual está trabalhando com a API do google em formato de teste para incorporar as atuais aplicações.

Ou entre diretamente no link:
http://www.edgo.com.br/labs/blogem/qr-code-edgo.php

>Faroeste Estilo 2010

>Pensar em um futuro off(Sem internet) é além de complexo, é quase impossível. Temos uma vida na web, uma outra identidade, e uma aqui, na realidade. Você já deve ter visto ou feito a procura/pesquisa sobre alguém no google, orkut, etc. 
Já pensou que o que faz off(Sem internet)ou on(conectado na web) pode prejudicar você? Um e-mail inapropriado após ter sido demitido fazem tanto ou mais importância que as palavras ásperas na mesma situação.

Estamos vivendo ou caminhando para uma vida dupla, on você pode parecer ou ser o que quiser.
Mas não podemos escolher apenas um destes mundos, a pílula azul ou vermelha, temos que engolir as duas.

Porque em algum momento eles vão convergir, neste momento, ou você gera um bigbang ou um buraco negro.

Neste mundo, você pode pegar, se apropriar do que deseja, isso me lembra muito o velho oeste americano aqueles filmes antigos, onde o xerife é o menos favorecido.

Apenas um Faroeste Estilo 2010.

Google Sidewiki


O Google anunciou Seu mais novo produto, Google Sidewiki , a idéia é ter um sidebar que permita os visitantes adicionarem novas informações ao site que estão acessando.

Google_SideWiki

Uma vez que a barra de ferramentas com Google Sidewiki for instalada no computador, o usuário poderá optar por visualizar no canto esquerdo do navegador as informações que outros internautas adicionaram.

Também poderá fazer suas próprias observações, desde que tenha uma conta do Google registrada.

A barra do Google com Sidewiki está disponível para os navegadores Internet Explorer 6 ou superior e Firefox 2 ou superior. Em outras palavras, nada de Sidewiki no Chrome, o navegador do próprio Google (que recentemente começou a testar extensões). Mas a empresa garante que quer estender o Sidewiki a outros navegadores em breve.

Vai entender.

Fonte: Tecnoblog

Abraço,
Ederson Melo – @edersonmelo